Fevereiro 24 2010

 

escolhas.. na vida, há imensas escolhas, imensos caminhos por onde ir, demasiados, por vezes.. demasiado tempo.

quanto mais penso no que quero, mais dúvidas tenho. mais tenho a certeza que isto não é o melhor para os dois. e que não te posso fazer esperar mais tempo.

mesmo que não vejas isso, eu também sofro se tu sofres. porque somos amigos, e apesar de todas as incertezas, todas as dúvidas e todas as escolhas que tenho de fazer, tenho a certeza de uma coisa.

tu és especial para mim. não te posso dizer que te amo. mas tu não me és indiferente.

mas não te posso magoar da forma que te vou magoar. não posso dizer-te que te amo e não conseguir estar contigo, por causa das memórias.

mas não te quero dizer adeus, porque não é nada disso que sinto..

por isso, no final de tudo isto, resta apenas dizer-te faz o que achares melhor para ti.

eu vou apoiar-te, como tua amiga. e vou ouvir-te e compreender. mesmo que queira chorar ou voltar atrás. eu estou aqui  .

gosto muito de ti , L .

 

 

 

 

{ "Quando se ama alguém, tem-se sempre tempo para essa pessoa. E se ela não vem ter connosco, nós esperamos. O verbo esperar torna-se tão imperativo como o verbo respirar. A vida transforma-se numa estação de comboios e o vento anuncia-nos a chegada antes do alcance do olhar. O amor na espera ensina-nos a ver o futuro, a desejá-lo, a organizar tudo para que ele seja possível. É mais fácil esperar do que desistir. É mais fácil desejar do que esquecer. É mais fácil sonhar do que perder. E para quem vive a sonhar, é muito mais fácil viver." }

 

 

publicado por por preencher às 00:35

Dezembro 04 2009

“Podias ter-me dito que ias sair da minha vida. A paixão é mesmo isto, nunca sabemos quando acaba ou se transforma em amor, e eu sabia que a tua paixão não iria resistir à erosão do tempo, ao frio dos dias, ao vazio da cama, ao silêncio da distância. Há um tempo para acreditar, um tempo para viver e um tempo para desistir, e nós tivemos muita sorte porque vivemos todos esses tempos no modo certo. Podias ter-me dito que querias conjugar o verbo desistir. Demorei muito tempo a aceitar que, às vezes, desistir é o mesmo que vencer, sem travar batalhas. Antigamente pensava que não, que quem desiste perde sempre, que a subtracção é a arma mais cobarde dos amantes, e o silêncio a forma mais injusta de deixar fenecer os sonhos. Mas a vida ensinou-me o contrário. Hoje sei que desistir é apenas um caminho possível, às vezes o único que os homens conhecem. Contigo aprendi que o amor é uma força misteriosa e divina. Sei que também aprendeste muito comigo, mais do que imaginas e do que agora consegues alcançar. Só o tempo te vai dar tudo o que de mim guardaste, esse tempo que é uma caixa que se abre ao contrário: de um lado estás tu, e do outro estou eu, a ver-te sem te poder tocar, a abraçar-te todas as noites antes de adormeceres e a cada manhã ao acordares. Não sei quando te voltarei a ver ou a ter notícias tuas, mas sabes uma coisa? Já não me importo, porque guardei-te no meu coração antes de partires. Numa noite perfeita entre tantas outras, liguei o meu coração ao teu com um fio invisível e troquei uma parte da tua alma com a minha, enquanto dormias.”

publicado por por preencher às 19:44

pretérito demasiado imperfeito
mais sobre mim
Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
blogs SAPO